Notícias

Copa do Nordeste é 3º em público no Brasil; Pernambucano fica atrás de Catarinense e Baiano

Copa do Nordeste é 3º em público no Brasil; Pernambucano fica atrás de Catarinense e Baiano

Rafael Cabral - 11/03/2020

Num calendário apertado para quase todas as equipes do futebol brasileiro, a região Nordeste apresenta um quadro único, que deixa o ritmo de jogos ainda mais acelerado. 16 equipes se dividem entre a Copa do Nordeste e seus respectivos torneios estaduais. Os dois campeonatos disputam datas, atenções e público nos primeiros meses do ano.

Em 2020, a Copa do Nordeste apostou numa fórmula que privilegia os clássicos regionais e estaduais. Uma maneira clara de atrair torcida e mídia para o seu próprio produto. Classificando clubes por ranking e separando rivais em grupos diferentes, a organização busca fortalecer ainda mais a já consolidade competição. E isso tem se refletido no público. A Copa aparece na 3ª colocação no ranking de campeonatos nacionais, atrás apenas de Paulista e Carioca. 6.626 pessoas em média vão aos jogos do Nordestão, enquanto que 7.909 aparecem em São Paulo e 7.464 no Rio de Janeiro.

O desempenho das equipes de Pernambuco, no entanto, poderia ser melhor. O Sport é o quinto colocado em público com uma média de 6.910 pagantes, o Santa o sexto com 5.790 e o Náutico é o oitavo com 4.483. Na frente, aparecem respectivamente Bahia (22.147), Fortaleza (20.945), Ceará (11.898) e ABC (7.016). Não é coincidiência que as equipes que estão na Série A há mais de um temporada levem mais torcedores ao estádio, empolgados com o bom momento de seus times. O ABC é que surpreende, mesmo estando na Série D.

Já o Campeonato Pernambucano, segue sendo um problema em relação à presença dos torcedores. Considerando os campeonatos estaduais, o nosso fica na oitava colocação, atrás de Paulista, Carioca, Gaúcho, Paranaense, Mineiro, Catarinense e Baiano, nesta ordem. 2.030 em média vão aos jogos da competição local.

Evidentemente, que os problemas seguem sendo os mesmos e servem de explicação para a pouca participação da torcida nos jogos: violência - com casos recentes de brigas envolvendo Organizadas - preço dos ingressos, mobilidade, qualidade dos jogos e times, mas com esses mesmos problemas, outros estados têm dado respostas. É necessária uma mobilização geral e novas alternativas de venda e divulgação do evento, para que o Pernambucano cresça e ganhe algumas posições no ranking.

*Os dados são do Globoesporte.com

Quero Asssinar Quero Anunciar

Contato